sábado, 25 de julho de 2015

Vídeo Institucional Repipiu



#curta #compartilhe #userepipiu

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Resuminho da Semana Repipiu

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Saiba o motivo que é importante o bebê comer com as mãos






Até os 6 meses de idade, a recomendação da OMS - Organização Mundial de Saúde é que as crianças sejam alimentadas apenas com leite materno. Depois disso, já podem ser incluídos alimentos sólidos.
Quando este momento chegar, é importante que os pais escolham um cadeirão ou um lugar à mesa, para que a crianças experimentem diversas sensações ao entrar em contato com a textura, o aroma, as cores e o sabor dos alimentos. Sendo assim, a bagunça é necessária. O bebê desenvolve uma atitude de cumplicidade com o alimento e passa a aceitá-lo com mais naturalidade.
"Uma criança consegue desenvolver suas habilidades à medida que a refeição tem novidades, novos sabores e cores", contou o nutrólogo Ary Cardoso, do Instituto da Criança do HC-FMUSP ao portal Minha Vida. "Se a introdução de alimentos variados for gradativa, ela fica curiosa e aprende a manipulá-los até conseguir segurar sozinha."
Já falamos aqui no Catraquinha sobre a proposta do método BLW (Baby Led Weaning, desmame que o bebê lidera, traduzido do inglês). Neste método, a ideia é que os pais esqueçam das papinhas e deixem que os bebês se alimentem sozinhos, com as próprias mãos. O termo foi criado pela consultora em saúde Gil Rapley e a técnica vem ganhando adeptos no mundo inteiro.
Os adeptos do método defendem que, além de a criança desenvolver autonomia, evita que os pais precisem carregar para todo lado as papinhas. Para que não ocorra acidentes e engasgos, o ideal é oferecer pedaços pequenos, compatíveis com a boca da criança e sua capacidade de mastigação.

fonte: Catraquinha Livre
Apoio:





















(fonte Catraquinha Livre)

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Grande Queima de estoque!


Repipiu pirou ! Grande queima de estoque ! Grandes descontos ! Grandes marcas !

Nos visite e aproveite !


quinta-feira, 16 de julho de 2015

terça-feira, 7 de julho de 2015

Conjutivite. O que é e como tratar

fonte: desenvolvimentoinfantil.blog.com.br



Uma criança na creche ou pré-escola, com conjuntivite, requer atenção de todos. É importante mostrar aos pais como reconhecer os sintomas para que seus filhos sejam tratados precocemente, evitando maiores danos à saúde e o contágio de outros pequenos.
Conjuntivite é a inflamação da conjuntiva, uma membrana do olho. Há vários tipos dessa manifestação, mas, comumente, todos apresentam estes sintomas:
Vermelhidão, lacrimejamento, secreção, edema (acúmulo anormal de líquido, gerando inchaço) na conjuntiva e na pálpebra, sensação de areia no olho, prurido, queimação, fotofobia, dor ocular.
Destacamos dois tipos da doença, que são mais comuns:
Conjuntivite bacteriana – dura cerca de duas semanas. Se bem tratada, não deixa sequela. Mas se não for cuidada, pode se tornar crônica. A transmissão acontece pelo contato direto com objetos de uso comum. Para tratá-la, é preciso seguir a recomendação médica, que normalmente é de higiene rigorosa e limpeza das secreções com soro fisiológico e uso de antibióticos.
Conjuntivite viral – tem o agravante de poder vir acompanhada de outros problemas, como gripe e dor de garganta. É muito contagiosa, pelo contato direto e uso de objetos comuns, até duas semanas do aparecimento dos sintomas. Precisa de uma higiene rigorosa. Muitos médicos prescrevem lágrimas artificiais e compressas geladas como tratamento. O acompanhamento do especialista é importante porque a doença pode apresentar efeitos colaterais, como infecções secundárias.
Outros tipos da doença: conjuntivites alérgica, sazonal, primaveril, tóxicas ou químicas, cujos sintomas e tratamentos você pode ter acesso no texto que inspirou este post. O importante é reconhecer os sintomas para tratar o problema logo no início, garantindo maior bem-estar à criança pequena.

Apoio: www.repipiu.com.br

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Final de semana tudodebom ! Promoção de inverno !






Promoção grande acontecendo no site. Não deixem de conferir !
www.repipiu.com.br



Para meninos e para meninas ! Grandes marcas !

www.repipiu.com.br

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Banho em recém-nascido




Mamães,

Dar banho em recém-nascido não é tarefa das mais fáceis. Junta a falta de prática, mudança de hábitos e vida, mudança de ambiente para o bebê.

 A FMCSV elencou 10 passos úteis para esse momento tão delicado. Leia com atenção e tenha certeza que tudo dará certo !


Passo 1 – Organize tudo antes de tirar a roupinha do bebê (espaço, acessórios, roupa, algodão etc.).
Passo 2 – Prepare a água na banheira (que deve estar bem limpa), na temperatura de 35 a 36 graus (se o dia for quente, pode ser um banho mais fresquinho). Meça a temperatura com o termômetro ou com a parte interna do antebraço, que é bem sensível.
Passo 3 – Tire a roupa do bebê e aproveite para conversar com ele, contar que é hora do banho, acariciá-lo, interagir com a criança.
Passo 4 – Higienize a genitália com água morna para retirar o grosso das fezes.
Passo 5 – Enrole o bebê na toalha (pra dar firmeza) e lave a cabeça com xampu adequado.
Passo 6 – Limpe os olhos com algodão úmido e passe sabonete nas orelhas, tomando cuidado com os ouvidos. Lave o rosto com água e seque a cabeça do bebê para que não se resfrie.
Passo 7 – Retire a toalha e coloque o bebê no banho de imersão, apoiando-o no seu antebraço, de barriga para baixo, com a cabeça inclinada para cima e pés na banheira.
Passo 8 – Lave as costas, o bumbum e a parte de trás das pernas.
Passo 9 – Vire o bebê de lado. Segure as duas mãos dele, com firmeza, sobre o peito para virá-lo para cima. Lave pescoço, ombros, braços, mãos, barriga, tórax, coto umbilical, genitália, pés e pernas.
Passo 10 – Retire o bebê da água, lentamente, segurando suas mãos sobre o peito. Enrole-o na toalha e coloque-o sobre uma superfície firme para enxugá-lo.



Apoio:

 

Repipiu Template by Ipietoon Cute Blog Design